_parar de tentar crescer_

Existe vazio tão grande, como os espaços sem uso neste pequeno apartamento.

As luzes lá de fora refletem, aqui dentro, como se mostrasse o silêncio das vozes inexistentes.
O sofá, parece imenso, ao me envolver tristonha.

A cabeça gira, em pensamentos vagos, num alvoroço sem compreensão. Nem se quer o rádio ou a televisão são o bastante agora.

E fugir talvez não seja o bastante. Assim como ficar aqui, parada.

Necessito de nova vida, de viver sem parar. E sem cansar.

Ainda estou viva, mesmo que parecendo morta. Em outrora, a ponto de dar a cara para bater. À mim mesma.

Não posso parar de tentar. Não agora. Parar de tentar crescer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

_quando menos imaginamos_

_amor.

_Somente cinco, para trinta.