Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2009

_o silenciar mágico_

Depois de dias agoniados, ele volta. Ele, com seu charme e sorriso. Com a aparência mais encantadora. Com o silenciar mágico que é interpretado e entendido apenas pelo coração.

A razão cede lugar. Preferes descansar ao se extressar. Sabes que nada devia estar acontecendo. Mas teimas... Insiste..

Se em dias passados eu estava boba, eu continuo, isso é fato. Mas não continuarei por tempo. Pode ser que não mereças. Pode ser que tudo mude. E não se passe de um simples mês, de trocas momentâneas de sentimentos. De carinhos e prazeres atirados sem rumo. De um bem estar somente proporcionado pelo teu abraço.

E então, sem saber o que fazer.Aguarda.. Espera...

Que este nevoeio passe logo. Pois quero sentir novamente, os ares do verão.

_não vejo mais nada_

São dias cansativos. Dias produtivos e improdutivos ao mesmo tempo.

Se dedicas a tal, peca noutro. E por vezes não consegue alinhar, entrar num consenso.

Essa semana de fato fora agitada. Um fluxo contínuo de trabalho jamais vivido. Um cansaço pela falta de noites mal dormidas. A aparição de quem já esquecera. A saudade sanada aos poucos ao ver aquela pessoa que por muito, fez a diferença em seus dias. Um carinho e um pé atras com o coração. Os erros insistentes de um lado. A falta de atitude doutro. Tantas coisas. E sempre o apoio de quem sempre esteve do seu lado.

São tantos ocorridos. E ainda por cima acaba deixando quem não merece, chateados... Não vejo mais nada. Meus pensamentos estão todos embaralhados. Até mesmo minhas mãos já perdem a coordenação. Eu preciso de férias. De longas noites. De novos dias.

_Preciso colocar o sono em dia_

Tem dias que as palavras vem fácil, mesmo sem desejá-las. Outros, numa imensa vontade, elas faltam.

E com o sono que estou, acho que nem essa imensa vontade de escrever e voltar a postar vai fazer as palavras surgirem.

Preciso colocar o sono em dia.

_brecar o que pode vir_

Tenho vontade de escrever tanto. E ao mesmo tempo me barro tentando brecar o que pode vir.

_bacana quando acreditamos em algo_

Engraçado que quando você esta com um humor e pique invejável, parece atrair ainda mais coisas boas.

Ironicamente ou não, sempre funciona assim. E eu adoro quando isso acontece. Ainda mais quando as pessoas discutem sem motivos. Como se soubessem seu estado.

É bacana quando acreditamos em algo que depois desaparece sem ao menos se explicar.

_custo a deixar o inverno voltar_

Incrível como conseguem despertar sentimentos. Entretanto, hoje, talvez com medo, escondo-me tentando me esquivar.

Existem sensações inexplicáveis, e nesse momento sei que ainda não posso escrever muito sobre você.

Talvez por não mais acreditar. Talvez por receio de tentar. Não reclamo. E também já não insisto. Se anteriormente disse que a primavera dava sinais, agora vejo que ela vem e volta. E por vezes traz consigo os raios de sol do verão. Lindos, coloridos e alegres. No final da tarde, sempre somem, dando lugar ao clarão da lua, que chega com a calmaria e seus ensinamentos.

Primavera ou verão, só custo a deixar o inverno voltar.

_ou as mais rápidas semanas_

Pois é. Parece que maio nunca lhe gerou tantas histórias em curto prazo de tempo.

Há uns dias você estava entusiasmada, toda encantada. Depois, não mais que ansiosa. E não é que agora parece ter voltado ao normal?

Do mesmo modo com que os dias parecem passar lentamente, agora vejo que as semanas voaram. Olha só o ano, esta praticamente em sua metade já..

E esses longos dias, ou as mais rápidas semanas sempre lhe renderão ótimos ensinamentos. Vamos ver no que vai dar.

_sempre nos deparamos com as tais ilusões_

Ilusão. O que é criar ilusões? É talvez decepcionar-se com elas depois.

Sabes quando despertam em ti uma vontade que por tempos não sentia? Quando você sabe que algo, mesmo que mínimo, esta mudado em você? Quando por incrível que pareça, fazem você acreditar em alguma coisa que não queria mudar?

Pois é.. E então, junto com tudo isso, faz você criar sonhos ilusórios. Pensamentos que jamais se tornam reais, e ficam trancafiados pelas gavetas da mente.

E o mais interessante de tudo isso, é que podes passar toda uma vida.. Sempre, nos depararemos com as tais, ilusões.

_sair por ai fazendo o que der na telha_

Sinto sede. Sede de mudanças. De pensamentos e atitudes. Mudanças de rotina, de horários, de dia-a-dia, de forma com que encaro minhas horas mal planejadas.

Preciso de mais tempo para mim, para tarefas que me identifico. Preciso voltar fotografar, filmar e curtir. Preciso de bebidas geladas, pessoas estranhas, novas e velhas pessoas.

Liberdade, inovação, criatividade. Andar por lugares desconhecidos, experimentando novas experiências. Realizando descobertas, enfim.

Formar mais opiniões, moldar novas linhas de pensamentos. Parar abaixo de uma árvore, ler um livro, ou simplesmente me pôr a escrever. Seja do que for, sobre o que for.

- Sinto vontade de férias. E de muito tempo livre para sair por ai fazendo o que der na telha.

_um misto de alegria e pavor_

Tanto tempo parado. Deixando de bater acelerado. E de repente, explode.

Explosão, calor, palpitação. Trêmulo. Assim como o frio na espinha qual também origina.

Sensações anormais. Oscilantes entre o medo e o entusiasmo. Um misto de alegria e pavor.

Abismo. Amor e ódio, contentamento descontente. Vontade, desejo, amargura, espera, tempo e saudade.

Tantos sentimentos. Tantas misturas, sensações indecifráveis capazes de te destruir e te elevar de tal forma que não há explicações.

Apenas pode-se resumir em paixão.

- Sim rapazes, é onde me encontro. Apaixonada, nas nuvens e ao mesmo tempo, sem chão.

_baralho fora de ordem_

As cartas trocadas. O baralho fora de ordem. Não existem curingas nem atalhos. Apenas figuras repetidas, e jogadas à fazer.

Pensa. Traça os melhores atos. Qualquer ação antecipada resultará na finalização do jogo.

Escolhe uma carta. E ainda com receio, verifica sua aparência, seu conteúdo, suas aptidões. Estás certa de que pode ser a cartada final.

Mas pensa em todas as outras escolhidas ao longo da partida. Os lances mal feitos. As marcas. Os sucessos e perdas. E tem medo de arriscar.

- É... esse tal medo que me corrói aos poucos.

_janelas abertas_

É. Tem dias que somos todos ouvidos. E dias que ouvimos.

Hoje é um dia desses... Janelas abertas e histórias sendo escritas aos poucos. As soluções, talvez não sou eu ou você quem dita, mas apenas o tempo para resolver.

Ações, atitudes, complicações, rumos a seguir, estradas a escolher. Existem tantos mistérios nessa tal vida que temos, que acredito eu, na minha humilde inteligência, que até nossos últimos dias nos restarão dúvidas.

E aquela contradição "e se" tudo tivesse sido diferente sempre irá nos encucar. Mas não podemos nos barrar. O tempo é o senhor da razão. E por mais errada que seja nossas escolhas, sempre existem ensinamentos por traz delas.

- Eu, leiga que sou, acredito nisso. Talvez seja o melhor conforto e aprendizado.

_novos momentos virão_

Existem momentos na vida que merecem uma fotografia, para jamais serem apagados das lembranças.

Hoje, me recordo de alguns, que gravo apenas em minhas memórias. E penso o quão eram bons.

Ai se pudessemos voltar no tempo. Fazer tudo outra vez. Mesmo que nada fosse mudado.
Eu tentaria aproveitar novamente ao máximo.

E em breve, pensar que novos momentos virão.

_correr até alguém_

Sabe quando você não faz ideia do que fazer ou deixar de fazer?

Quando parece que tudo muda... Ou então, é tudo ilusão meramente criada pela sua cabeça?

Então, ta assim.

E a unica coisa que eu sinto, é uma vontade imensa de correr até alguém e não soltar nunca mais.

_só mais uma vez_

Eis que vem desculpas tentando justificar todos os atos.

Desculpas estas quais te acalmam e machucam. Por tanto tempo esperou por mudanças, e agora, elas vem e vão do modo mais incerto e dilacerador possível.

Diz compreender, mas a fundo, ainda conflita-se. Acredita que podia ser diferente.

E tenta não mais pensar em tudo isso que faz mal. Que a faz perder o humor. Que a tira do normal.

- Preciso de você. Só mais uma vez, eu queria você aqui.

_inventei mentiras_

De certo modo eu inventei mentiras para que pudesse acreditar em estórias e sonhos criados.

Eu areditei em palavras que por segundos pareciam ser reais. Em ações, em atos, tudo mais.

Me perdi, vagando nas ilusões de dias surpresos. Acreditei que nada era impossível.

Aprendi que por traz de máscaras, existem tentações. Me entreguei, sem medo d'outro amanhecer.

Compreendi minhas verdades, construí esperanças, anseios, sanei as dúvidas.

Vivi dias poucos, interligados, amarrados. Divertidos.

E por fim, perdi meu coração em teus nós. Dos quais já não sei onde encontrar.

_angústia que me consome_

É uma sensação de amargura. De indecisão, de medo. De receio de escutar o que não quer jamais ouvir.

Uma angústia que me consome, dilacera meus orgãos e meus pensamentos. Corta cada mísera esperança que tento cultivar.

Eu não quero amar. Eu não quero mais sentir nada tão forte a cada novo tropeço. Preciso de barreiras mais fortes e armaduras ainda mais concretas.

Não há forças pra insistir no que não se sabe qual a verdade existente.

_paranóias_

Ando a pensar tantas coisas, que parece exagero dizer. E acredito que seja até mesmo tolo me preocupar com coisas que talvez não necessitem de tal.

Acredito que seja o medo. Não sei. Sei que essas paranóias estão me deixando cada vez mais encucadas.

- E no fundo no fundo, eu sei que isso passa. ;)

_coração gelado_

E não é que o aquecimento global engana as pessoas? (rs) Em poucos dias, o que pensava ser uma primavera desprogramada e duradoura, novamente se torna um inacabábel inverno.

- Dias frios. Coração gelado. Parado.

O sofá ao lado esta desocupado. As noites só são confortadas em teu próprio calor. Não há nada a se fazer a não ser aguardar os novos raios de sol adentrarem pelas janelas.

- Enquanto tento esquecer da dor. Da dor do amor.

(ô breguiiiiisse.. shushaus)

_todo sonho é apenas sonho_

No pregar dos olhos e no cair do sono, me vi com um lindo sorriso, de alegrias e reciprocidades. Fui acompanhada, até mesmo por um encantador semblante, que chegou a me fazer acreditar que o sol brilharia na manhã seguinte. Era anunciada a chegada de uma nova estação.

Entretanto, como todo sonho é apenas sonho, acordei. Sem rumo, desnorteada a te procurar por todo lugar.

- Onde é que foi parar? Aonde foi parar?

Podia ter demorado um pouco mais a acordar. E agora, quer se embalar novamente em sonos profundos. Mas somente o tempo poderá comandar as próximas noites mal dormidas, confortadas pelas lembranças de teus "bons" atos.

_culpa desses tais sentimentos_

Por vezes, sempre esperamos mais daqueles que não esperam o mesmo da gente. Enquanto um se entrega, o outro se esquiva. Ou vice-versa.

Engraçado pensar que em nossas vidas vivemos nos deparando com esse tipo de situação. Damos muito valor a quem não nos dá, e pouco a quem realmente merece.

- É algo que jamais entendi e vou entender. Tudo culpa desses tais sentimentos que vivem a nos testar.

_Por que mudar tanto?_

E o que eu não me canso de perguntar... Será que eu sou tão impecílho assim?

Que quanto mais quero perto, mais afasto as pessoas?

Por que mudar tanto?

_hora de parar de sonhar_

Esta na hora de acordar. Não podes mais continuar a dormir.

Agora percebes o que esta a sua frente, e não tens mais a antiga sensação de leveza de dias atrás.

- Vamos, esta na hora de parar de sonhar.

_sem muitas delongas_

Sabe quando tudo parece se endireitar, tomar uma direção certa, e as coisas fluem como devem ser?

Pois é.. Sempre tenho medo de quando as coisas são boas demais. Quando estou muito feliz, certeza que em breve passarei uns dias de tédio. E eles estão próximos.

Sabe quando parece ser enganada, uma vez que não suporta qualquer fingimento ou falsidade?

Sabe quando você é totalmente sincera e parecem zombar de ti sem ao menos tentar esconder?

E mais uma vez, a única certeza é de que sempre existe um dia após o outro. E sim, estou puta.


(Post sem muitas delongas mesmo.. e ai?)

_é complicado encontrar as peças certas_

Bom que nesse jogo do Amor o meu coração só encontra a fase "bônus"... Felicidades estantâneas e jamais percorre o rumo de um certeiro fim.

E ao mesmo tempo que caiu, levanto, trazendo novas armaduras.

Por que nesse tabuleiro da vida é complicado encontrar as peças certas?

_a curiosidade mata_

Dizem que a curiosidade mata, não é mesmo?

Pois é.. e que atire a primeira pedra, quem nunca xeretou para saber de qualquer coisa que seja.

A curiosidade mata e me matou a poucos. E não sei o que pensar, o que me despedaça... E acaba com as esperanças que vira e mexe são perdidas e ajuntadas por ai.

Eu não quero incertezas. Mas bem que quero ser feliz.

_qualquer tolice que me faça abrir um tremendo sorriso_

Me joguei em um caminho novo, deixando para traz qualquer resquício que me fizesse desistir da busca por novas ações.

Me desprendi de muito que me magoava, trancafiei pensamentos, apaguei lembranças. Fui atrás de alguém que me mostrava um novo rumo, um possível melhor para mim.

A única dúvida é a incerteza, o medo, o tempo da espera, qualquer motivo que faça pensar que não passará de poucos dias.

E isso certamente me consome. Não pode passar de apenas um rolo. Eu desejo muito além disso. É minha nova felicidade que esta em jogo... Os meus dias incertos, a falta total de rotina, as diversidades, a inexistência do convencional, tudo e qualquer atitude inesperada.

Nada comparado a contos de fadas. Não, isso seria monótono e previsível demais. Mas o que eu espero é o inesperado, as surpresas sem por quê, telefonemas fora de hora, as atitudes impensadas, e as aparições desprogramadas. E qualquer tolice que me faça abrir um tremendo sorriso, que estremeça minha estabilidade, e amoleça ainda ma…

_é o que eu temo_

Preciso confessar o quão estou boba e sorrindo sem mesmo um por quê.

O final de semana me renderá inúmeras histórias, mesmo perdendo o controle de algmas situações.

Talvez eu esteja a mudar o rumo do blog, e então, misture estórias e histórias. Meu dia-a-dia real com o imaginário. Assim como eu já venho fazendo de um tempo pra cá.

Ando confusa, boba, apaixonada e sorrindo a toa, mesmo com algumas preocupações. Certos fatos acabaram fugindo do controle e precisaram ser sanados. Outros me preocupam de forma que me fazem não querer pensar no que pode ocorrer. A verdade é que jamais fazemos idéia do que passa pela mente das pessoas que convivemos e quão elas podem nos surpreender postiva ou negativamente.

- E é o que eu temo. Fato.

_sensação indecifrável_

Sabe aquela sensação de esperar ansiosamente, qualquer sinal que te faça abrir um magnífico sorriso?

Aquele sono mal dormido por você estar com os pensamentos longes? Ou então, aquela madrugada vazia que se transforma em calmaria quando existe alguém por perto?

Tem tantos exemplos. Que até mesmo aquele final de noite ao teu lado, que valeu por dias de noites exaustivas?

É uma sensação indecifrável. E faltam palavras para descrever tal.

Mas, se destas noites perguntarem se eu quero acordar, sem mesmo pensar, retrucarei que de forma alguma. Este é um sonho que não me faz querer abrir os olhos.

_te ver já basta_

E os dias ficam cada vez mais encantadores. E apenas te ver já basta.



Ando tão sem inspiração para escrever... ¬¬ shauhsuahsuhas
Que sempre sai as mesmas breguices...

_preciso para me aquecer_

É madrugada fria. E apenas teus braços preciso para me aquecer.

E nada mais.



(Ando brega demais. Cruzes...)

_trocam olhares_

Trocam olhares. E por segundos tudo para. Ambos emudecem.

Fraquejo, estremeço, me contenho.

E o pouco tempo que tenho com você parece voar vagarosamente... Sendo gravado em mínimos detalhes na memória, para recordar-me em tua ausência.

Que dure o tempo necessário para se tornar para sempre.

_ele chegou mais uma vez_

Ele esta a enlouquecer seus pensamentos. Está presente em sua maioria. E em instantes de piração, lhe falta ar para respirar.

Como um furacão, apenas pensa nos momentos passados e na sensação de querer mais e mais.

Ele esta a te esperar. Enquanto você, feito boba, sorri... Observa, viaja e sonha.

O frio bate lá fora. Mas aqui dentro, anda tudo aquecido. Ele chegou mais uma vez.

- E por demorar a encontrar, não quero perder de vista jamais.

_recompõe seus ânimos_

Sonolência. Ausência de pique.

Por momentos, você encontra-se em fúria. Mas algumas horas depois, percebes que nada passava de momentos.

Bebe-se alguns goles, distrae-se, diverte-se. E recompõe seus ânimos.

Vamos garota, a vida não pára.

_nem tudo é como imaginamos_

Você sonha com contos de fadas... Acontecimentos marcantes. Surpresas inesperadas.

E, até mesmo conscientemente, sabe que nem tudo é como imaginamos.
Ver tal pessoa inesperadamente, já é o bastante para quem o aguarda. E estar junto mais uma vez, é melhor sensação para uma quarta-feira pós aulas.

E a única coisa que podes desejar, é cada vez mais dias assim...

_um tanto mais confortável agora_

E o que nessas horas eu menos queria, era sentir esses borbulhos de 'emo'ções, que me prendem e me instigam. Me enfurecem, me acalmam.

- Se ao menos seu sorriso pudesse ver de longe... Já estaria um tanto mais confortávelagora.

_ainda tentei policiar_

Pois é.. Ainda tentei policiar... Mas jogou tudo pro alto. Não deu ouvidos.

E agora, estas ai... Domada por uma sensação inexplicável que vai do medo a felicidade, de uma vontade imensa de gritar, ou passar o dia todo calada embaixo de uma árvore.

- Algo aqui dentro tudo esta a explodir. E eu não posso deixar. Não quero me perder outra vez.

_posso me precipitar_

O medo esta sempre barrando a minha felicidade. O medo de deixar rolar, de curtir, de viver.

Aquele aperto repentino, que o faz brecar sonhos. Aquele sentimento que mata qualquer ilusão que possa criar.

Pensar isso ou imaginar aquilo, é sempre em vão. Não vivemos numa estória de ficção, como os contos de fadas, que sempre acabam felizes, com o príncipe realizando todos os desejos da princesa.. Não, não. A vida é uma outra realidade bem diferente disso tudo.

Posso me precipitar, sem dúvidas, mas o mínimo de afeto demonstrado já pode representar muito.

E a solução, é procurar válvulas de escape, tentando esquecer os sonhos, e colocando os pés no chão. O que tiver pra ser, será.

_tentando aprender o que é sentir_

É como estar numa praça pensando sobre a vida. Então, observa a quantidade de pessoas que ali passam. Todos os modos. Solitárias, acompanhadas, felizes ou entristecidas.

E nesse vai e vem, o que me vem a cabeça são as estórias mal-criadas e suspirantes.

Eu não sei onde esse jogo vai acabar, mas que esta fase, não seja apenas mais uma passageira, onde o jogador acaba dilacerado por seus próprios sentimentos; tentando aprender o que é sentir.

_um lado o medo, do outro, a coragem_

São dois distintos sentimentos. De um lado o medo, do outro, a coragem.

Há uma semana decidi me lançar em novidades, na busca por um novo rumo, um novo jeito de olhar a vida, talvez. O que de fato me trouxe uma nova forma de sorrir. Não apenas por sorrir, mas por estar novamente com o coração cheio de ânimos.. Coragem para me atirar em um dos lados do abismo e seguir.

Entretanto, como para tudo se existe certa resistência, surge então o medo. Assombrando-me as idéias de que podes não ser da maneira que imagino... E que em breve, meu entusiasmo se romperá.

Não posso alimentar novos sonhos sem antes me precaver. Isto é fato. Embora minha mente encontra-se esquecida disso.

_faz suas apostas_

Um dia qualquer você observa que algo mudou. E mesmo sem saber, envergonhado, faz suas apostas.

Uma carta na mesa, e lá esta a sua felicidade. Um caminho trilhado, uma rotina interrompida, uma pausa em tudo que deixava de ter sentido.

Ele chegou. Trazendo novos sorrisos. Renovando os pensamentos nas buscas de novas estórias. Dilacerando qualquer fragmento que o impeça de ficar.

- Por favor, coloque mais horas nesses dias... Ou faça que os mesmos passem num piscar de olhos.

Que venha os próximos dias. E a amarga espera que não quero pensar.

- Repito que vou roubar-lhe para mim.

E a derrota simplesmente não me satisfaz. Não, não...

_a primavera voltou_

Já é de manhã. E você acabara de sair.

Ter essa mesma sensação por dias seguidos me faz ver o quanto foi bom esperar por você chegar. E tão de repente, já não consigo largar.

Os mínimos minutos são como horas, aceleradamente passam, e marcam. E eu tendo não dormir, pois não quero acordar.

- A primavera voltou. Os raios do sol já colaboram com os campos floridos, e os pássaros começam a cantarolar.

_alguém esta esperando por você_

E não é que o tal do amor anda me visitando?

De fato, certamente demora para cravar seus laços, mas vai chegando e marcando seu caminho aos poucos.

Obviamente que não digo que ele já se entubou, mas que dá sinais, sem dúvidas. É como ficar tentada, esperar por qualquer coisa, imaginar, e permitir-se viajar. E se correspondido, não deixas barato.

- Por que não assistir um filme nesse friozinho?

E não precisa de mais ações ou fingimentos. Não seria de ambos agrados você esquivar-se. Alguém esta esperando por você.

E poder cuidar, mimar, zoar, rir, amanhecer e se perder ainda é pouco.

- Estou voltando a respirar com intensidade. É nova vida ao meu coração. Sem medos, sem desculpas. E certamente vou te roubar para mim.

_sobre meu dia_

Enquanto muitos acordam, eu adormeço. E pensar que hoje ainda é sábado me faz desejar muitos feriados e finais de semana como esse.
Levanta da cama apenas quando os olhos já se cansam de fechar. Liga o computador a espera de alguém te chamando para sair. Troca mensagens. E não pensa muito sobre o que fazer. Aceita ir aonde a vida te levar. E parte, com pessoas que não estas acostumada a sair.

Encontra rostos que há tempos não via. Conversa pouco. Ria-se bastante. Quase não bebe. E a tal verdinha não pode faltar.

Sente falta. Pensa em outras pessoas. Incomoda um certo alguém.

- Ah, esta na hora de irmos embora...

E então, por que não um filminho depois? Nesse friozinho...
- Aiaiai.

Quase nunca posto sobre meu dia como esse post.. Ou acho que realmente nunca postei tão assim, sem muitas papas, fantasias, o que for. Enfim. Bateu-me a vontade de escrever.
Esta na hora de dormir.