_não o bastante_

Faz um bom tempo que não me ponho a escrever. Não dou as caras. Nem se quer entro aqui.

Na verdade não há muito o que contar. Existe apenas um vazio. Uma ausência de extremos. Ou de qualquer sentimento estonteante que possa vir.

De certo, agora sem dor, relembro-me de fatos quais abrilhantaram meus olhos, retratando meu mais ingênio sorriso. Num tilintar suave de idéias, pulsações e alegrias.

Passageiro. Corriqueiro. Imenso e profundo furor despertado. Apagado. Calado, dilacerado.

E de fato, forte. Mas não o bastante para me fazer parar. E eu sigo. Persisto. Insisto!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

_Somente cinco, para trinta.

_quando menos imaginamos_

_amor.