_por longas noites mal dormidas_

''E a cada dobra conto histórias, de muitas delas sinto medo (...)" Assim já dizia a antiga canção. E por mais que seja escrito por uma outra pessoa, sinto encaixar-me aos mesmos escritos.

E com a tal doce melodia, sigo meus dias. Contudo, estás presentes em cada pensamento, cada tomada de decisão, cada novo suspiro ou sonho. Nenhuma explicação cabível. Nenhum conforme. Tudo ainda parece sumir as minhas vistas, ou embaçar-se pelos ares.

Entretanto, ainda me restam dúvidas sobre o que na realidade faz ou não sentido. E nessas horas, a dúvida causa mais transtornos do que simples certezas ou meras mentiras. E então, certamente, por longas noites mal dormidas, ainda me recordarei de você ao levantar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

_Somente cinco, para trinta.

_quando menos imaginamos_

_amor.