_angústia que me consome_

É uma sensação de amargura. De indecisão, de medo. De receio de escutar o que não quer jamais ouvir.

Uma angústia que me consome, dilacera meus orgãos e meus pensamentos. Corta cada mísera esperança que tento cultivar.

Eu não quero amar. Eu não quero mais sentir nada tão forte a cada novo tropeço. Preciso de barreiras mais fortes e armaduras ainda mais concretas.

Não há forças pra insistir no que não se sabe qual a verdade existente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

_Somente cinco, para trinta.

_quando menos imaginamos_