_com olhos, cheio d'agua_

Maio nunca esteve tão encantador como o passado. Foram horas manifestando um sorriso inigualável, com uma completude jamais vista.

Recordo-me com olhos, cheio d'agua, de quando percebi tal beleza e diferença. Era um, em muitos, no qual apreciei sem medo. Eram os segundos mais longos que seguiam até o momento de encontrar-te.

Apreensão, ansieade e suspiros. Acalmados por um olhar, quando tomava-me em teus braços. Acolhedor abraço.

Era proteção, e medo algum fazia sentido. Eram horas, passageiras, e noites ao teu lado. E qualquer gesto, acelerava ainda mais o meu esperançoso coração.

Pulsava em ritmo acelerado. Faltava-me o ar. E as palavras se calavam, enquanto os olhares diziam por si só. E nesses instantes, é que eu percebia, que o escondido amor, havia vindo mostrar as caras.

- Sim. Ele acreditava que poderia ressurgir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

_quando menos imaginamos_

_amor.

_Somente cinco, para trinta.