_feliz com as palavras do pobre garçom_

Restaurante cheio. Mesas lotadas. Pessoas e mais pessoas ao seu redor. E você, ali, naquele canto quase que escondida. Um cardápio, uma fome, e a espera. Sim, pois demoram a atender-te.

Enquanto isso, troca uma mensagem ou outra e observa a imagem muda de um show do Queen que passara na televisão. E pensa também, claro!

Até pensa se deveria estar ali, sozinha, enquanto todos estão acompanhados. Mas, não se importa. Queria estar ali, e pronto. A companhia seria boa... Entretanto, enquanto nada se tem, essa é a solução. Apenas conta com uma mente voando a sonhar.

Mata sua fome, se refresca com o suco de morango e se delicia com a torta holandesa.... Aiai - com água na boca.

Contudo, quem sai para jantar sozinha, quase meia noite... Normal não é. Parece faltar algo, e sim... Não é um acompanhante ou uma cadeira ocupada bem a sua frente. Não, não. Tolisse.

Onde está o documento com o dinheiro??? Logo a conta chega.. E como faz? Exatamente. Se envergonha e diz que esqueceu no carro. Questiona se querem acompanhar-te, ou se seria necessário deixar algum pertence ali. (Digo, seu celular ali. Já que não carrega mais nada a não ser sua sinceridade e seus pensamentos)

Retorna, acerta a conta e ganha um "elogio" vamos dizer assim. - Você passa confiança.

- E verdade ou não, era o que tentei passar minutos antes.

Sai, segurando o riso devido seu erro. Mas feliz com as palavras do pobre garçom.

- De fato, já que eu passo confiança, talvez deva passar mais coisas as pessoas. E por que muitas delas não compreendem, assim como fez o rapaz, o que esta por traz de alguém, calada como eu?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

_quando menos imaginamos_

_amor.

_Somente cinco, para trinta.