_tudo volta a estaca zero_

Demoro a dormir. E reluto em acordar. Na verdade continuo numa busca incessante de compreender meus sentimentos. É como se minha vista embaçasse a cada vez que eu tentasse enxergar além dos olhos.

Algumas peças chaves. Algumas ações infundadas. Sentidos até distintos. E por serem tão distintos, contrários e antigos tornam um tanto complicado advir outros.

Tento, mas não me encaixo. As novidades são como tampões, ou óculos de sol. Usa-se em alguns momentos, distrae-se, mas logo, retira-se.

As imperfeições, até mesmo corriqueiras, não me despertam da forma que deveriam. E qualquer alteração é passageira. Como diversão.

Pois tudo volta a estaca zero. Ao ponto de partida. Ao dia anterior. E quando isso termina? Talvez seja uma constante, que mesmo com a troca de peças, jamais irá acabar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

_Somente cinco, para trinta.

_quando menos imaginamos_

_amor.